Jesus na Galiéia

Evangelho de João 7 comentado versículo por versículo

Jesus na GaliéiaJesus recusa voltar para Jerusalém.

 

1 E depois disto Jesus andava pela Galiléia, e já não queria andar pela Judéia, pois os judeus procuravam matá-lo.

No capitulo 6 depois de o Mestre ter um confronto muito sério com os falsos líderes religiosos dos Judeus, o capítulo sete, começa com o Senhor procurando ter mais cautelas, com os perseguidores. E com isto passou evitar voltar para a Judeia.

2 E estava próxima a festa dos judeus, a dos tabernáculos.

Era uma festa profética que apontava para o reino milenial de Cristo. E trazia significado importantíssimo para eles. No capitulo anterior falamos de duas festas de uma semana de duração, é a dos tabernáculos era uma delas. A outra era dos Pães Ázimos.

3 Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes.

Vemos aqui nos versos 4 e 5 os próprios irmão de Jesus não entendiam a missão do Mestre, e queriam que Jesus voltasse para a Judéia para se manifestar ao público. Eles queriam que o mestre fosse manifestar ao mundo com seus prodígios e maravilhas. Veja versos 4 e 5.

4 Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo.

5 Porque nem mesmo seus irmãos criam nele.

6 Disse-lhes, pois, Jesus: Ainda não é chegado o meu tempo, mas o vosso tempo sempre está pronto.

Com essas palavras o Mestre estava dizendo que se Ele se manifestasse os judeus iriam querer matá-lO só que ainda não era tempo para isto.

7 O mundo não vos pode odiar, mas ele me odeia a mim, porquanto dele testifico que as suas obras são más.

Quando falamos a verdade criamos problemas com as pessoas porque elas não aceitam convencê-las que estão erradas.

8 Subi vós a esta festa; eu não subo ainda a esta festa, porque ainda o meu tempo não está cumprido.

Então Jesus determinou que eles fossem à festa, mas que Ele não iria agora. Os judeus não queria matar os discípulos, eles queriam era Jesus.

9 E, havendo-lhes dito isto, ficou na Galiléia.

Então os discípulos subiram para a festa em Jerusalém.

Jesus sobe ocultamente para Jerusalém

10 Mas, quando seus irmãos já tinham subido à festa, então subiu ele também, não manifestamente, mas como em oculto.

Mas depois que eles foram Jesus subiu também só que de uma maneira muito secreto.

11 Ora, os judeus procuravam-no na festa, e diziam: Onde está ele?

E os judeus O procuravam no meio do povo querendo encontrá-lO pra matar.

12 E havia grande murmuração entre a multidão a respeito dele. Diziam alguns: Ele é bom. E outros diziam: Não, antes engana o povo.

E nessas alturas a multidão se dividia em dois partidos; os que eram por Jesus e, os que eram contra o Mestre.

13 Todavia ninguém falava dele abertamente, por medo dos judeus.

As lideranças dos judeus tinham dado ordem para quem confessasse ser ele o Cristo, fosse expulso da sinagoga. João 9:22    E o povo se discutia de uma maneira mais reservado, com medo de ser apanhados pelos judeus.

14 Mas, no meio da festa subiu Jesus ao templo, e ensinava.

Mas o Mestre deixou para subir já no meio da festa sem que o povo percebesse, de uma maneira que o povo não estava conhecendo-O.

15 E os judeus maravilhavam-se, dizendo: Como sabe este letras, não as tendo aprendido?

Como não O reconheceu v 25, e nem O tinha visto nas escolas dos rabinos daquela época, ficaram admirados e disseram: Como sabe este letras, não as tendo aprendido?

16 Jesus lhes respondeu, e disse: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou.

O Senhor responde: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. Quer dizer: a minha sabedoria não é humana, mas a minha sabedoria é do Céu; é do Meu Pai. Para aqueles que quiser fazer a vontade de Deus ouve essa doutrina, pois a mesma doutrina prova que veio de Deus. Vs 17,18.

17 Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim mesmo.

18 Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça.

19 Não vos deu Moisés a lei? e nenhum de vós observa a lei. Por que procurais matar-me?

 Nos livros das leis de Moisés, esta escrito: Não matarás, leia Ex 20 13; Dt 517. E eles O procuravam matar lhe.

20 A multidão respondeu, e disse: Tens demônio; quem procura matar-te?

Até aqui eles não sabiam com quem falavam Jesus ainda não tinha dado a conhecer se na festa.

 

O povo reconhece Jesus.

 21 Respondeu Jesus, e disse-lhes: Fiz uma só obra, e todos vos maravilhais.

Aqui Ele começa a dar o que entender quando Ele fala no milagre que fez no dia de Sábado Jo 5. 5-9. O sábado era extremamente sagrado para eles, não podiam fazer nada naquele dia. Sábado era o sétimo dia de cada semana, e os dias de feriados religiosos dos judeus isto é, dias de festa Sagradas.

22 Pelo motivo de que Moisés vos deu a circuncisão (não que fosse de Moisés, mas dos pais), no sábado circuncidais um homem.

Aqui o Senhor lhe faz lembrar que Moisés circuncidou um homem no sábado, agora eles procuravam matar por ter curado um homem no sábado. V 23.

23 Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem?

24 Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça.

Às vezes nos julgamos as pessoas pela aparência e as vazes pecamos quando assim procedemos.

25 Então alguns dos de Jerusalém diziam: Não é este o que procuram matar?

Ai foi quando alguém do meio da festa desse: Esse é Jesus! Não é ele que vocês estão procurando para matar? Ele fala abertamente e vocês não O reconhecem? V 26.

26 E ei-lo aí está falando abertamente, e nada lhe dizem. Porventura sabem verdadeiramente os príncipes que de fato este é o Cristo?

27 Todavia bem sabemos de onde este é; mas, quando vier o Cristo, ninguém saberá de onde ele é.

Sabemos que este é de Nazaré e que foi criado em nosso meio; mas o Cristo que há de vir não sabemos de onde Ele vem.

28 Clamava, pois, Jesus no templo, ensinando, e dizendo: Vós conheceis-me, e sabeis de onde sou; e eu não vim de mim mesmo, mas aquele que me enviou é verdadeiro, o qual vós não conheceis.

Aqui Jesus entregava mais um sermão no templo dizendo que eles não O conheciam porque na verdade Ele veio de Deus O qual eles não conheciam. Porque se conhecesse não o perseguiriam. Ver o V 29.

29 Mas eu conheço-o, porque dele sou e ele me enviou.

30 Procuravam, pois, prendê-lo, mas ninguém lançou mão dele, porque ainda não era chegada a sua hora.

Eles procuravam predê-lO, mas não tinha autoridade para isto. Isto só seria possível quando Deus determinasse.

 

Divisão entre o povo

31 E muitos da multidão creram nele, e diziam: Quando o Cristo vier, fará ainda mais sinais do que os que este tem feito?

Com isto o povo da festa se dividira, os que creram nÊle e os que não creram.

32 Os fariseus ouviram que a multidão murmurava dele estas coisas; e os fariseus e os principais dos sacerdotes mandaram servidores para o prenderem.

Então as líderes da festa mandaram prendê-lO.

33 Disse-lhes, pois, Jesus: Ainda um pouco de tempo estou convosco, e depois vou para aquele que me enviou.

Com essas palavras Jesus estava dizendo; você não tem autoridade para me prender agora, mas só no tempo que meu Pai determinar, por enquanto Eu permanecerei aqui com vocês. Depois voltarei para meu pai.

34 Vós me buscareis, e não me achareis; e onde eu estou, vós não podeis vir.

Aqui JESUS estava dizendo que ia morrer, mas no tempo certo. E que ia ressuscitar e voltar para Deus, e os judeus iam procurar por Ele e não iriam encontrar.

35 Disseram, pois, os judeus uns para os outros: Para onde irá este, que o não acharemos? Irá porventura para os dispersos entre os gregos, e ensinará os gregos?

Eles começarão a murmurar: A onde ele vai esconder de nós, que nós não O achamos. Veja o V 36.

36 Que palavra é esta que disse: Buscar-me-eis, e não me achareis; e: Aonde eu estou vós não podeis ir?

37 E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba.

E o Senhor permaneceu na festa até o ultimo dia; foi quando Ele se colocou de pé e disse: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba.

38 Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.

Rios de água viva; aqui fala do derramamento do Espírito Santo na vida dos fiéis. Ver V 39.

39 E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.

 

Mais uma vês o povo se divide.

40 Então muitos da multidão, ouvindo esta palavra, diziam: Verdadeiramente este é o Profeta.

E com isto muitos creram NELE por tudo que viram e ouvira DELE.

41 Outros diziam: Este é o Cristo; mas diziam outros: Vem, pois, o Cristo da Galiléia?

Enquanto outros procuravam colocar dúvidas entre o povo dizendo: este homem é da Galiléia, todos nos conhecemos Ele. As Escrituras desse que O Cristo é belemita e descendente de Davi. V 42

42 Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi, e de Belém, da aldeia de onde era Davi?

43 Assim entre o povo havia dissensão por causa dele.

E ouve um alvoroço naquela festa e ninguém pôde fazer nada, pois só aconteceria quando Deus desse autoridade. Veja o V 44

44 E alguns deles queriam prendê-lo, mas ninguém lançou mão dele.

45 E os servidores foram ter com os principais dos sacerdotes e fariseus; e eles lhes perguntaram: Por que não o trouxestes?

Quando os guardas voltaram sem Ele os cabeças da festa ficaram intrigados: Porque não prendeu Ele? O que os guardas responderam: Nunca homem algum falou assim como este homem. V 36

36 Responderam os servidores: Nunca homem algum falou assim como este homem.

 

47 Responderam-lhes, pois, os fariseus: Também vós fostes enganados?

Eles bradaram: O que aconteceu? Ficaram crentes vocês também? E alguns dos da nossa liderança também? Veja o V 48.

48 Creu nele porventura algum dos principais ou dos fariseus?

49 Mas esta multidão, que não sabe a lei, é maldita.

  Amaldiçoou Aquela multidão Essa multidão de seguidores Dele são pessoas que não conhece as leis! Esse povo é maldito!

50 Nicodemos, que era um deles (o que de noite fora ter com Jesus), disse-lhes:

Nicodemos que parece ser um seguidor secreto; (veja capitulo 3) tentou defender os guardas e disse; veja V 51.

51 Porventura condena a nossa lei um homem sem primeiro o ouvir e ter conhecimento do que faz?

52 Responderam eles, e disseram-lhe: És tu também da Galiléia? Examina, e verás que da Galiléia nenhum profeta surgiu.

Eles disseram a Nicodemos: Você também é Galileu? Você já ouviu falar se da Galileia surgiu algum profeta? E foram todos embora.

53 E cada um foi para sua casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *